Circulação e exibição

as transformações no consumo e no alcance dos vídeos pessoais de casamento no Brasil

  • Érica Ribeiro Gama Universidade Federal Fluminense

Resumo

Desde de os primeiros registros pessoais de casamento realizados com imagens em movimento nos anos de 1920, percebe-se uma aproximação narrativa e estética com o cinema e a televisão. De lá para cá, o registro de casamentos se transformou e hoje é um item altamente valorizado no mercado e a expansão desse mercado se entrelaça com o desenvolvimento tecnológico, que modifica em diversos níveis o produto “vídeo de casamento”, desde sua concepção às formas de assistir essas produções. Sob esta perspectiva, como que o desenvolvimento e acesso a tecnologias transformaram as formas de exibição e circulação dos vídeos de casamento, alterando, inclusive, o modo de consumo (como eles são consumidos e vistos) desses produtos? Entre as mais diversas formas de observar essas produções, este artigo propõe pensar o modo de atravessamento dessas tecnologias apresentando um dos caminhos para se observar a trajetória desses vídeos, considerando dois pontos primordiais no processo: (1) circulação e (2) exibição.

Publicado
2020-10-26
Como Citar
GAMA, Érica Ribeiro. Circulação e exibição. Anais de Resumos Expandidos do Seminário Internacional de Pesquisas em Midiatização e Processos Sociais, [S.l.], v. 1, n. 4, out. 2020. ISSN 2675-4169. Disponível em: <https://midiaticom.org/anais/index.php/seminario-midiatizacao-resumos/article/view/1107>. Acesso em: 09 dez. 2022.