Sequestro do embaixador dos EUA e AI-14

um olhar sobre o imaginário nos discursos de Folha de S. Paulo e O Globo

  • Luana Chinazzo Müller PUCRS
  • Fernanda Cristine Vasconcellos PUCRS
  • Mauren de Souza Xavier dos Santos

Resumo

O presente artigo propõe um olhar sobre a cobertura jornalística brasileira acerca desses dois fatos correlacionados ocorridos em setembro de 1969, o sequestro do embaixador dos Estados Unidos, Charles Burke Elbrick, e a promulgação do Ato Institucional nº 14 (AI-14). O objetivo é compreender o imaginário construído pelos discursos que compõem as reportagens dos jornais Folha de S. Paulo e O Globo, e demonstrar o que está oculto nesses textos, como se relacionam com os fatos e que intenções podem estar escondidas nas reportagens. A metodologia utilizada é a Análise Discursiva dos Imaginários (SILVA, 2019), que ajuda a responder a hipótese de que a cobertura dos periódicos sobre o sequestro ocorre de modo a reforçar o discurso oficial e justificar a instauração do AI-14. Assim, o objetivo da pesquisa é responder esse questionamento e, ao mesmo tempo, mostrar como os discursos entregam ao leitor uma realidade inquestionável dos fatos, impossibilitando o questionamento ou a controvérsia.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Doutoranda em Comunicação Social na PUCRS.

##submission.authorWithAffiliation##

Doutoranda em Comunicação Social na PUCRS.

Mauren de Souza Xavier dos Santos

Mestra em Comunicação Social pela PUCRS.

Publicado
2020-10-27
Como Citar
CHINAZZO MÜLLER, Luana; VASCONCELLOS, Fernanda Cristine; DE SOUZA XAVIER DOS SANTOS, Mauren. Sequestro do embaixador dos EUA e AI-14. Anais de Resumos Expandidos do Seminário Internacional de Pesquisas em Midiatização e Processos Sociais, [S.l.], v. 1, n. 4, out. 2020. ISSN 2675-4169. Disponível em: <https://midiaticom.org/anais/index.php/seminario-midiatizacao-resumos/article/view/1109>. Acesso em: 18 ago. 2022.