Mediatização e a produção simbólica do "Eu": modos de subjetivação em circulação no Instagram

  • Bruna Couto Rocha

Resumo

A presença enraizada das plataformas de redes sociais digitais  na vida cotidiana é parte do cenário de aprofundamento dos processos de mediatização, com consequências nos modos de estruturação do mundo social e das subjetividades dos sujeitos e das sociedades. A produção simbólica do “Eu” enquanto produto para o consumo do outro não é um fenômeno exclusivo da fase atual da mediatização, sendo um tempo central na elaboração da teoria psicanalítica desde que o sujeito é inserido na sociedade através da linguagem. O advento da internet, o capitalismo de dados e o poder do algoritmo na mediação das relações sociais, colocam este problema em um outro patamar. Neste artigo, investigou-se os modos de subjetivação em circulação no Instagram, buscando uma compreensão de como os processos de mediatização se articulam com a produção simbólica do “Eu” nas redes sociais digitais.


 

Publicado
2022-11-07
Como Citar
ROCHA, Bruna Couto. Mediatização e a produção simbólica do "Eu": modos de subjetivação em circulação no Instagram. Anais de Resumos Expandidos do Seminário Internacional de Pesquisas em Midiatização e Processos Sociais, [S.l.], v. 1, n. 5, nov. 2022. ISSN 2675-4169. Disponível em: <https://midiaticom.org/anais/index.php/seminario-midiatizacao-resumos/article/view/1447>. Acesso em: 18 abr. 2024.