Semiótica do cuidado e da violência em #MarielleMultiplica: Memetização e necropolítica durante as eleições presidenciais de 2018 no Brasil

  • Isabel Löfgren Södertörn University

Resumo

No presente trabalho busca-se aprofundar o conhecimento sobre o fenômeno da memetização dentro do ativismo e da cultura visual digital durante o processo eleitoral que levou Jair Bolsonaro à presidência em 2018. O objeto de estudo são as condições de produção e circulação relacionadas à placa de rua em memória à vereadora carioca Marielle Franco pelas redes. O artigo segue o percurso da placa em ações como #MarielleMultiplica, um exemplo de resistência cultural criativa por agentes autônomos no Rio de Janeiro, e, em contrapartida, em memes bolsonaristas contra as mobilizações em torno de Marielle usados para reforçar a retórica de necropolítica bolsonarista. O artigo faz o percurso da placa em diversas plataformas onde é utilizada em diversos gêneros meméticos de cultura visual digital como memes, gráficos, ilustrações e registros fotográficos, todos compreendidos como partes do arcabouço de mídias táticas online e offline em que se desencadeia uma batalha interdiscursiva entre os campos progressista e conservador. Dentro deste percurso surgem um conjunto de questões sobre justiça social, luto e luta, visibilidade e apagamento no embate entre a necropolítica promovida em discursos da campanhas política bolsonarista e os movimentos sociais que promovem uma política de vida e cuidado por meio de estratégias visuais pertinentes ao processo de memetização.


 


Dentro de uma semiótica de cuidado, por um lado, e da violência por outro, percebem-se diferenças em termo de táticas discursivas, autoria, qualidade de imagem, uso de protocolos técnicos, transparência e opacidade dos meios de produção, e modos de circulação da imagem da placa em diversos contextos. Conclui-se que o embate de narrativas mostra-se acirrado, situando o processo de memetização como eficiente arma política e de normalização da necropolítica em processos midiáticos, no qual as contra-narrativas dos movimentos de resistência, mesmo efêmeros, foram essenciais para manter pautas de justiça social e democracia acesas durante o período eleitoral que, através da ação #MarielleMultiplica, projetaram Marielle Franco como símbolo internacional de democracia interseccional e luta anti-fascista.

Publicado
2022-11-06
Como Citar
LÖFGREN, Isabel. Semiótica do cuidado e da violência em #MarielleMultiplica: Memetização e necropolítica durante as eleições presidenciais de 2018 no Brasil. Anais de Resumos Expandidos do Seminário Internacional de Pesquisas em Midiatização e Processos Sociais, [S.l.], v. 1, n. 5, nov. 2022. ISSN 2675-4169. Disponível em: <https://midiaticom.org/anais/index.php/seminario-midiatizacao-resumos/article/view/1498>. Acesso em: 18 abr. 2024.