MEDIATIZAÇÃO E ENUNCIAÇÃO: A CONSTRUÇÃO DA VIOLÊNCIA ENVOLVENDO CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM JORNAIS IMPRESSOS BRASILEIROS

  • Ivanise Hilbig de Andrade

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo compreender os impactos da mediatização na enunciação jornalística a partir da análise da construção discursiva da violência envolvendo crianças e adolescentes operada por jornais impressos integrantes de um mesmo grupo de comunicação, sendo um de referência – O Globo – e um popular – Extra. Admite-se que a mediatização se insere nesse processo como uma condição de produção do discurso mediático sobre a violência ao interferir ou impactar nos modos de dizer do Jornalismo; por reconfigurar a natureza das relações entre enunciadores (os jornais) e coenunciadores (leitores); e por estimular uma maior interpenetração de linguagens. Parte-se de uma análise discursiva da violência construída pelos jornais para entender como as transformações – tecnológicas e sociais – dos meios de comunicação e nas instâncias de produção, circulação e reconhecimento impactam na enunciação jornalística.

Publicado
2017-06-30
Como Citar
DE ANDRADE, Ivanise Hilbig. MEDIATIZAÇÃO E ENUNCIAÇÃO: A CONSTRUÇÃO DA VIOLÊNCIA ENVOLVENDO CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM JORNAIS IMPRESSOS BRASILEIROS. Anais de Artigos do Seminário Internacional de Pesquisas em Midiatização e Processos Sociais, [S.l.], v. 1, n. 1, jun. 2017. ISSN 2675-4290. Disponível em: <https://midiaticom.org/anais/index.php/seminario-midiatizacao-artigos/article/view/108>. Acesso em: 03 dez. 2022.