WE HAPPY FEW E ADMIRÁVEL MUNDO NOVO: NARRATIVAS DE UMA SOCIEDADE DISTÓPICA

  • Simone Carvalho da Rosa
  • Norberto Kuhn Júnior

Resumo

Este artigo objetiva analisar a narrativa a partir da literatura distópica, presente no jogo We Happy Few (2016), fazendo um paralelo com aspectos da obra literária ‘Admirável Mundo Novo’, de Aldous Huxley (1932). Utilizou-se pesquisa bibliográfica para contextualizar os conceitos de “felicidade”, “literatura distópica”, “narrativas” e “jogos digitais”; para análise da narrativa dos objetos midiáticos, adotou-se a estrutura ampliada doDiagrama de Chatman (1978), proposto por Dubiela e Battaiola (2008), evidenciando os elementos que compõem a História, sem entrar na análise dos elementos do Discurso. Ao final, observou-se que a narrativa do jogo We Happy Few (2016) apresenta características tipificadas na literatura distópica, similares à narrativa presente na obra de Huxley (1932), como o pessimismo ativo, a massificação cultural, a vigilância total dos indivíduos, o controle da informação, entre outras.

Publicado
2017-06-30
Como Citar
DA ROSA, Simone Carvalho; JÚNIOR, Norberto Kuhn. WE HAPPY FEW E ADMIRÁVEL MUNDO NOVO: NARRATIVAS DE UMA SOCIEDADE DISTÓPICA. Anais de Artigos do Seminário Internacional de Pesquisas em Midiatização e Processos Sociais, [S.l.], v. 1, n. 1, jun. 2017. ISSN 2675-4290. Disponível em: <https://midiaticom.org/anais/index.php/seminario-midiatizacao-artigos/article/view/111>. Acesso em: 09 dez. 2022.