Midiatização Infantil: uma análise da construção da funkeira mirim Melody como figura pública

  • Katiana Campeol UFSM

Resumo

O ponto de confluência entre os sentidos da infância e a mídia se tornam cada vez mais nítidos e geram consequências em uma sociedade em vias de midiatização, trazendo a necessidade de maior atenção por parte dos estudos de comunicação. Dessa forma, a medida que a todo momento se afirmam em um cenário público inúmeras crianças e adolescentes, busca-se, pela exemplificação do perfil em plataformas digitais da cantora Melody, entender como surge uma figura pública infantil e que consequências esse cenário implica na concepção de infância que se constrói hoje. Assim sendo, a pesquisa faz uso dos conceitos de midiatização de Braga (2017), Mata e Verón (1997, 2004), de plataforma midiática de Fernandez (2018), também da definição de celebridades de Simões (2014) e o entendimento da construção histórica da infância por Áriès (1978).

##submission.authorBiography##

##submission.authorWithAffiliation##

Graduanda em Comunicação Social - Habilitação Jornalismo, na Universidade Federal de Santa Maria(UFSM).

http://lattes.cnpq.br/0268686251159203

Publicado
2021-04-22
Como Citar
CAMPEOL, Katiana. Midiatização Infantil: uma análise da construção da funkeira mirim Melody como figura pública. Anais de Artigos do Seminário Internacional de Pesquisas em Midiatização e Processos Sociais, [S.l.], v. 1, n. 4, abr. 2021. ISSN 2675-4290. Disponível em: <https://midiaticom.org/anais/index.php/seminario-midiatizacao-artigos/article/view/1321>. Acesso em: 28 nov. 2021.
Seção
GT COMUNICAÇÃO E DIFERENÇA: CORPOS, AFETOS E TERRITÓRIOS III