SMARTPHONES, APLICATIVOS E PEREGRINAÇÃO

IDENTIDADES (RE-) NEGOCIADAS DO PEREGRINO NO CAMINHO DE SANTIAGO DE COMPOSTELA

  • Marco Túlio de Sousa

Resumo

Propõe-se analisar os usos e apropriações dos smartphones e aplicativos por peregrinos. Realizou-se um exercício analítico de inspiração netnográfica (HINE, 2015, POLIVANOV, 2013) com os aplicativos MiCamino e Eroski, consultas em grupos de facebook dedicados ao Caminho de Santiago e entrevistas. Os dados indicam que a peregrinação midiatizada evoca percepções aparentemente contraditórias quanto à incorporação de tais tecnologias: da “peregrinação amarrada” à sensação de segurança; do “isolamento midiático” ao “contato expandido”. As distintas implicações sugerem que a midiatização não consiste em processo homogêneo, configurando, dessa maneira, identidades diversas a partir das negociações dos sujeitos com as lógicas midiáticas (HJARVARD, 2015).

Publicado
2018-07-07
Como Citar
DE SOUSA, Marco Túlio. SMARTPHONES, APLICATIVOS E PEREGRINAÇÃO. Anais de Artigos do Seminário Internacional de Pesquisas em Midiatização e Processos Sociais, [S.l.], v. 1, n. 2, jul. 2018. ISSN 2675-4290. Disponível em: <https://midiaticom.org/anais/index.php/seminario-midiatizacao-artigos/article/view/194>. Acesso em: 09 dez. 2022.