A CRUCIFICAÇÃO DO CORPO TRAVESTI: A IMAGEM PROFANA NA CIRCULAÇÃO MIDIÁTICA

  • Marlon Santa Maria Dias
  • Alisson Machado

Resumo

Em junho de 2015, a atriz e modelo Viviany Beleboni realizou uma encenação da crucificação durante a 19ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo. Partindo desse caso, o artigo tem como objetivo refletir sobre a circulação midiática do corpo travesti. Para tanto, as questões que mobilizam este trabalho são: quais sentidos são acionados quando as imagens da “travesti crucificada” são inscritas nos processos de circulação? O que essas imagens dizem sobre aquilo que se considera profano e sagrado em nossa sociedade? Nas disputas de sentido entre o sagrado e o profano, há uma constante remissão à iconografia tradicional cristã, que passa por processos de transformação, tensionamento e negociação conforme as reapropriações dos atores sociais.

Publicado
2018-07-07
Como Citar
DIAS, Marlon Santa Maria; MACHADO, Alisson. A CRUCIFICAÇÃO DO CORPO TRAVESTI: A IMAGEM PROFANA NA CIRCULAÇÃO MIDIÁTICA. Anais de Artigos do Seminário Internacional de Pesquisas em Midiatização e Processos Sociais, [S.l.], v. 1, n. 2, jul. 2018. ISSN 2675-4290. Disponível em: <https://midiaticom.org/anais/index.php/seminario-midiatizacao-artigos/article/view/208>. Acesso em: 07 dez. 2022.