COMUNICAÇÃO, NOVA ENGENHARIA SOCIAL NOTAS SOBRE A DESREALIZAÇÃO DO TEMPO COMO ESPAÇO DE ALTERIDADE DO CAMPO COMUNICACIONAL

  • Tiago Quiroga

Resumo

A midiatização como nova dimensão organizativa da comunicação (SODRÉ, 2014), fundada no hibridismo comunicação-informação, não apenas realça os interesses em torno de sua constituição como um campo específico de conhecimento, como parece também inviabilizar qualquer possibilidade de sua compreensão segundo os pressupostos da autonomia dos campos sociais (BOURDIEU, 2004). Aquestão advém do duplo acontecimento introduzido pela sociedade do conhecimento (MACHLUP, 2016) que, por um lado, instaura e reconhece, na mencionada dimensão organizativa, um saber decisivo ao funcionamento social, e, por outro ‒ quando a integra aos regimes da informação, em especial aos fluxos da velocidade (VIRILIO, 1997) ‒, parece lhe retirar qualquer ontologia de maior envergadura. Inicialmente restrita ao fenômeno da comunicação em si, a questão se estende às teorias que, esvaziadas de duração, acabam destituídas de qualquer vigor emancipatório. Atrelada ao fluxo ininterrupto do tempo real, seria a própria imanência do tempo, como espaço de constituição do princípio de autodeterminação humana (RENAUT, 2001), fundamental às ciências sociais, decisivo ao preceito de autonomia dos campos, que parece desparecer. Daí o estudo sobre a desrealização do tempo como espaço de alteridade das ciências da comunicação.

Publicado
2017-06-30
Como Citar
QUIROGA, Tiago. COMUNICAÇÃO, NOVA ENGENHARIA SOCIAL NOTAS SOBRE A DESREALIZAÇÃO DO TEMPO COMO ESPAÇO DE ALTERIDADE DO CAMPO COMUNICACIONAL. Anais de Artigos do Seminário Internacional de Pesquisas em Midiatização e Processos Sociais, [S.l.], v. 1, n. 1, jun. 2017. ISSN 2675-4290. Disponível em: <https://midiaticom.org/anais/index.php/seminario-midiatizacao-artigos/article/view/57>. Acesso em: 03 dez. 2022.